NUCLEOS – Instituto de Seguridade Social

NUCLEOS – Instituto de Seguridade Social

MENU

Home > Noticias

André Ribeiro Mignani assume a Presidência do Nucleos e Luiz Claudio Levy Cardoso é reconduzido à Diretoria Financeira

Em cerimônia realizada no dia 1º de julho de 2024 na sede do Nucleos, tomou posse André Ribeiro Mignani, como presidente da entidade, e Luiz Claudio Levy Cardoso foi reconduzido para novo mandato como diretor financeiro, com vigência até 30 de junho de 2027.

Estiveram presentes na solenidade os membros da Diretoria Executiva, do Conselho Deliberativo, do Conselho Fiscal, colaboradores do Nucleos e convidados.

André Ribeiro Mignani é formado em Administração e Ciências Contábeis. Possui ampla experiência e competência técnica gerencial na atividade de auditoria, fiscalização e previdência. Na Eletronuclear, foi chefe do Departamento de Atendimento aos Órgãos de Controle, de outubro de 2022 a junho de 2024, e auditor-chefe, de 2014 a 2020. No Nucleos, presidiu o Conselho Deliberativo de julho de 2021 a maio de 2024.

Da esquerda para a direita: Luiz Claudio Levy Cardoso – Diretor Financeiro; Armindo D’Ascenção Silva – Ex Presidente do Nucleos; André Ribeiro MIgnani – Presidente do Nucleos; Maristela Aguiar de Souza – Presidente do Conselho Deliberativo; Paulo Sergio Poggian – Diretor de Benefícios.

 

André Ribeiro Mignani toma posse como Presidente do Instituto.

 

André Ribeiro Mignani em discurso na cerimônia de posse.

Confira, na entrevista a seguir, a primeira concedida pelo novo presidente do Nucleos, as perspectivas futuras e prioridades para sua gestão do Instituto.

Nucleos: A sua trajetória profissional e participação como conselheiro e presidente do Conselho Deliberativo do Nucleos revelam uma ampla experiência com o setor de previdência complementar e, em particular, com o próprio Instituto. De que forma esse envolvimento o ajudará na condução à frente da entidade?

André: Desde minha adesão ao Plano Básico de Benefícios (“PBB”) em janeiro de 2006, sempre me interessei em acompanhar a gestão do plano e o desempenho da sua carteira de investimentos. Como trabalhava na Auditoria Interna da Eletronuclear, tive a oportunidade de integrar a equipe de auditoria das empresas patrocinadoras do Nucleos e da FRG [Fundação Real Grandeza], o que me proporcionou um conhecimento na área de previdência complementar.

Tive a honra de ser eleito pelos participantes para o Conselho Fiscal e, posteriormente, de ser indicado pela Eletronuclear ao Conselho Deliberativo.

Ter presidido o Conselho Deliberativo do Nucleos nos últimos três anos me permitiu conhecer melhor a estrutura de governança e de controles internos da entidade. Creio que essa experiência contribuirá para o exercício da nova função, uma vez que já vinha acompanhando os principais temas do Instituto, como a gestão dos investimentos, o custeio administrativo, a aderência das hipóteses atuariais, a gestão administrativa e financeira da entidade, entre outros.

Nucleos: Quais são as suas metas de curto e médio prazos como novo presidente do Nucleos?

André: Temos que atrair os novos empregados para participarem do Plano de Contribuição Definida (“Plano CD”). Para isso, vamos aprimorar nossa comunicação institucional e o atendimento aos participantes. Precisamos capturar as percepções, dores, demandas e expectativas dos nossos participantes. Neste sentido, acho importante ouvirmos as entidades de classe e, para isso, buscaremos manter um canal aberto para o diálogo.

Nucleos: Alguma ação ou projeto terá prioridade nos próximos meses?

André: Para os próximos meses, lançaremos o “Empréstimo Pré-Fixado”, trazendo mais previsibilidade para os participantes, o que deve propiciar um aumento deste segmento na carteira do Nucleos. Faremos também um trabalho de “Fomento dos Planos CDs” para conseguirmos demonstrar aos novos empregados as vantagens de aderirem ao plano de previdência com contrapartida da empresa patrocinadora.

Nucleos: Como pretende conduzir a sua gestão no Nucleos? Será um trabalho colegiado?

André: Com muita transparência com os participantes, assistidos e patrocinadoras, prezando pela harmonia nos diversos níveis da governança. No âmbito da Diretoria Executiva, estou ao lado de dois diretores experientes e comprometidos com a perenidade do Instituto. Temos tudo para realizar um trabalho profícuo!

Nucleos: O mercado brasileiro atravessa um período de fortes oscilações, seja no câmbio, na Bolsa, nas perspectivas dos juros futuros. Tudo isso impacta a performance do Nucleos. Como pretende lidar com tantos altos e baixos?

André: Estamos fazendo um trabalho para montar uma carteira menos volátil e aproveitando a alta das taxas das NTN-Bs para imunizar parte da carteira com títulos marcados a vencimento, que nos garantirão retorno acima da meta atuarial.

Vejo o cenário atual como uma janela de oportunidade para consolidarmos uma carteira mais resiliente e que nos trará mais tranquilidade ao longo do tempo.

Nucleos: A ideia é manter a mesma estratégia de alocação/distribuição de recursos/ativos?

André: Temos que estar atentos aos movimentos do mercado. Agilidade é fundamental para aproveitarmos oportunidades e protegermos nossos recursos garantidores. Contudo, penso que o momento atual deve ser de seguirmos no movimento iniciado há cerca de um ano. Reduzir risco, ajustar a carteira de investimentos para atingirmos nossos objetivos com menos volatilidade nos ativos.

Nucleos: Como imagina que será a sua comunicação junto aos participantes?

Andre: Vamos intensificar a comunicação com os participantes aproveitando as mídias disponíveis para tornar o assunto previdência complementar mais palatável e interessante. Temos o desafio de apresentar aos novos empregados as vantagens de aderir ao Plano CD. Vamos desenvolver uma campanha para fomentar a adesão, com palestras e simulações individuais. O objetivo é demonstrar a enorme vantagem de aderir a este benefício oferecido pelas patrocinadoras.

Nucleos: E com as patrocinadoras?

André: Penso que o momento que estamos atravessando exige uma maior interação com as patrocinadoras. Além da volatilidade do mercado e das taxas de juros, estamos com um Plano de Equacionamento de Déficit em curso. Naturalmente, este cenário exige um acompanhamento pari passu pelas patrocinadoras, e o Nucleos tem o dever de prestar contas.

Nucleos: Para finalizar, que mensagem o sr. transmitiria para os participantes?

André: Felizmente, o Nucleos possui ativos sólidos e uma gestão profissional. Posso afirmar que esta Diretoria está comprometida com a perenidade do Instituto, com nossas obrigações de longo prazo, sem comprometer o equilíbrio, a solvência e a liquidez

Compartilhe: